Werbung
LEO

Sie scheinen einen AdBlocker zu verwenden.

Wollen Sie LEO unterstützen?

Dann deaktivieren Sie AdBlock für LEO, spenden Sie oder nutzen Sie LEO Pur!

 
  •  
  • Übersicht

    Sprachlabor

    IMPORTANTE: Novas formas de tratamento com autoridades federais

    Betrifft

    IMPORTANTE: Novas formas de tratamento com autoridades federais

    Kommentar

    Tradutores arrancam os cabelos ao ter que traduzir os exagerados salamaleques que advogados brasileiros usam ao se dirigir ao juíz. Um novo decreto PROÍBE esses salamaleques!


    https://www.estrategiaconcursos.com.br/blog/d...


    "Então, você que já vem estudando para concursos e no edital está prevista a Redação Oficial, fique atento/a: com este decreto não há mais o vocativo Excelentíssimo, nem o tratamento Vossa Excelência nas correspondências oficiais.


    A partir de então, o tratamento entre agentes públicos é “Senhor”. Veja um trecho do decreto:


    “Pronome de tratamento adequado


    Art. 2º O único pronome de tratamento utilizado na comunicação com agentes públicos federais é “senhor“, independentemente do nível hierárquico, da natureza do cargo ou da função ou da ocasião.


    Parágrafo único. O pronome de tratamento é flexionado para o feminino e para o plural.“


    Assim, este decreto torna sem efeito o quadro que dispõe dos pronomes de tratamento no serviço público, previsto no capítulo 4, do Manual de Redação da Presidência da República.


    Nesse Manual já havia a vedação do tratamento “ilustre”, “ilustríssimo”, “digno” ou “digníssimo”, “respeitável” ou “doutor”. Agora, este decreto ampliou para “Vossa Excelência”, “Vossa Senhoria”, “Excelentíssimo Senhor”. Veja:

    “Art. 3º É vedado na comunicação com agentes públicos federais o uso das formas de tratamento, ainda que abreviadas:

    I – Vossa Excelência ou Excelentíssimo;

    II – Vossa Senhoria;

    III – Vossa Magnificência;

    IV – doutor;

    V – ilustre ou ilustríssimo;

    VI – digno ou digníssimo; e

    VII – respeitável.“

    Interessante notar a previsão de uma possível retaliação, de que naturalmente alguns agentes públicos possam querer se valer. Tal previsão se encontra no parágrafo 1º do artigo 3º:

    “§ 1º O agente público federal que exigir o uso dos pronomes de tratamento de que trata o caput, mediante invocação de normas especiais referentes ao cargo ou carreira, deverá tratar o interlocutor do mesmo modo. “

    Assim, se algum agente público entender que não foi abarcado por tal decreto e exigir tratamento diferenciado, deverá se dirigir ao interlocutor com o mesmo tratamento."

    Verfasser CARIOCA (324416) 20 Jan. 20, 12:42
    Kommentar

    *fadenverfolgungsbeitrag* :-()

    #1Verfasser no me bré (700807) 20 Jan. 20, 13:08
    Kommentar

    Soube de um juiz que era tão cheio de si, que exigiu até que a EMPREGADA DA NAMORADA o tratasse por sua excelência no tratamento em particular!!! Ridículo! Estou só aqui imaginando a cena dele ter que tratá-la também com o mesmo vocativo segundo esse novo decreto 🤣🤣🤣!

    #2Verfasser CARIOCA (324416) 20 Jan. 20, 13:53
     
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  
 
 
 
 
  automatisch zu   umgewandelt