Publicidade
LEO

Parece que você está usando um bloqueador de publicidade.

Você quer apoiar o LEO?

Desative o bloqueador de publicidade ou faça uma doação!

 
  •  
  • Home

    Países e costumes

    Brasilien in der Zeit von Pedro II

    Assunto

    Brasilien in der Zeit von Pedro II

    Comentário

    Quando Pedro II do Brasil subiu ao trono em 1840, 92% da população brasileira era analfabeta, em seu último ano de reinado em 1889, essa porcentagem diminuiu para 60% de analfabetos, devido ao seu grande incentivo a educação, a construção de Faculdades e principalmente de inúmeras Escolas que tinham como modelo o excelente Colégio Pedro II.

    A bandeira nacional brasileira tem entre as cores o verde e o amarelo pois a mãe de Pedro II do Brasil, a Imperatriz Leopoldina idealizou e costurou a primeira bandeira nacional sendo o verde a cor símbolo da casa real dos Bragança e o amarelo da casa real dos Habsburgo .

    Diferentemente como muitos pensam o verde não representa as matas e o amarelo não representa o ouro.

    Pedro II do Brasil é Patrono do Corpo de Bombeiros e da Astronomia .

    A Imperatriz Teresa Cristina cozinhava as próprias refeições diárias da família imperial .

    Inclusive foi Dona Teresa Cristina que inventou a tão popular coxinha brasileira .

    De experimentos na cozinha para agradar os netos ainda crianças , nasceu o salgado envolto de massa fina e recheado com frango desfiado temperado com queijo derretido .

    Foi um grande sucesso desde a primeira fornada na pequena cozinha da mansão de veraneio em Petrópolis .

    Em 1871, a Imperatriz Teresa Cristina doou todas as suas joias pessoais para a causa abolicionista, deixando a elite furiosa com tal ousadia.

    No mesmo ano A Lei do Ventre Livre entrou em vigor, assinada por sua filha a Princesa Imperial Dona Isabel.

    (1880) O Brasil era a 6º Economia do Mundo.

    (1860-1889) A Média do Crescimento Econômico era de 8,81% ao Ano.

    (1880) Eram 14 Impostos, atualmente são 198.

    (1850-1889) A Média da Inflação era de 1,02% ao Ano.

    (1880) A Moeda Brasileira tinha o mesmo valor do Dólar e da Libra Esterlina.

    (1880) O Brasil tinha a Quarta Maior e Melhor Marinha do Mundo.

    Perdendo apenas para Inglaterra, França e EUA.

    (1860-1889)

    O Brasil foi o primeiro país da América Latina e o segundo no Mundo a ter ensino especial para deficientes auditivos e deficientes visuais.

    (1880) O Brasil foi o maior construtor de estradas de Ferro do Mundo, com mais de 28 mil Km.

    1. A média nacional do salário dos professores estaduais de Ensino Fundamental em (1880) era de R$ 16.958,00 em valores atualizados. ( Ensino Fundamental )

    2. Entre 1850 e 1890, o Rio de Janeiro era conhecido na Europa como “A Cidade Dos Pianos”

    devido ao enorme número de pianos em quase todos ambientes comerciais e domésticos.

    3. O bairro mais caro do Rio de Janeiro, o Leblon, era um quilombo que cultivava camélias, flor símbolo da abolição, sendo sustentado pela Princesa Isabel.

    4. O Maestro e Compositor Carlos Gomes, de “O Guarani” foi sustentado por Pedro II até atingir grande sucesso mundial.

    5. Pedro II tinha o projeto da construção de um trem que ligasse diretamente a cidade do Rio de Janeiro a cidade de Niterói. O projeto em tramito até hoje nunca saiu do papel.

    6. Pedro II mandou acabar com a guarda chamada Dragões da Independência por achar desperdício de dinheiro público. Com a república a guarda voltou a existir.

    7. Em 1884, Pedro II recebeu os diplomas honorários de Botânica e Astronomia pela Universidade de Cambridge.

    8. Desconstruindo boatos, D. Pedro II e o Barão/Visconde de Mauá eram amigos e planejaram juntos o futuro dos escravos pós-abolição. Infelizmente com o golpe militar de 1889 os planos foram interrompidos.

    9. Oficialmente, a primeira grande favela na cidade do Rio de Janeiro, data de 1893, 4 anos e meio após a Proclamação da República e cancelamento de ajuda aos ex-cativos.

    10. Na época do golpe militar de 1889, D. Pedro II tinha 92% de aprovação da população em geral. Por isso o golpe não teve participação popular.

    11. José do Patrocínio organizou uma guarda especialmente para a proteção da Princesa Isabel, chamada “A Guarda Negra”.

    Devido a abolição e até mesmo antes na Lei do Ventre Livre , a princesa recebia diariamente ameaças contra sua vida e de seus filhos. As ameaças eram financiadas pelos grandes cafeicultores escravocratas.

    1. O Paço Leopoldina localizava-se onde atualmente é o Jardim Zoológico

    2. O Terreno onde fica o Estádio do Maracanã pertencia ao Duque de Saxe, esposo da Princesa Leopoldina( Filha mais nova de Pedro II).

    3. Santos Dumont almoçava 3 vezes por semana na casa da Princesa Isabel na Normandia, França. (Exílio) 1889-1921.

    4. A ideia do Cristo na montanha do corcovado partiu da Princesa Isabel.

    5. A família imperial não tinha escravos. Todos os negros eram alforriados e assalariados, em todos imóveis da família.

    6. D. Pedro II tentou ao parlamento a abolição da escravatura desde 1846.

    Uma luta contra os poderosos fazendeiros por 42 anos.

    O Parlamento sempre negava o projeto de lei, pois muitos tinham influências diretas ou indiretas com os grandes cafeicultores escravocratas.

    Se tratando de uma MONARQUIA CONSTITUCIONAL PARLAMENTARISTA, o imperador não tinha o poder para decretar leis sem aprovação da maioria do parlamento.

    7. D. Pedro II falava 23 idiomas, sendo que 17 era fluente.

    8. A primeira tradução do clássico árabe “Mil e uma noites” foi feita por D. Pedro II, do árabe arcaico para o português do Brasil.

    9. D. Pedro II doava 50% de sua dotação anual para instituições de caridade e incentivos para educação com ênfase nas ciências e artes.

    10. D. Pedro Augusto Saxe-Coburgo era fã assumido de Chiquinha Gonzaga.

    11. Princesa Isabel recebia com bastante frequência amigos negros em seu palácio em Laranjeiras para saraus e pequenas festas. Um verdadeiro escândalo para época.

    12. Na casa de veraneio em Petrópolis, Princesa Isabel ajudava a esconder escravos fugidos e arrecadava numerários para alforriá-los.

    13. Os pequenos filhos da Princesa Isabel possuíam um jornalzinho que circulava em Petrópolis, um jornal totalmente abolicionista.

    14. D. Pedro II recebeu 14 mil votos na Filadélfia em 1876 para a eleição Presidencial, devido sua popularidade quando presidiu a Feira Universal da Filadélfia (na mesma que ele ajudou Graham Bell com seu aparelho reprodutor da voz humana (telefone) a ganhar notoriedade e ficar mundialmente conhecido, na época os eleitores podiam votar em qualquer pessoa nas eleições.

    15. Uma senhora milionária do sul, inconformada com a derrota na guerra civil americana, propôs a Pedro II anexar o sul dos Estados Unidos ao Brasil, ele respondeu literalmente com dois “Never!” bem enfáticos.

    16. Pedro II fez um empréstimo pessoal a um banco europeu para comprar a fazenda que abrange hoje o Parque Nacional da Tijuca.

    Em uma época que ninguém pensava em ecologia ou desmatamento, Pedro II mandou reflorestar toda a grande fazenda de café com mata atlântica nativa.

    17. A mídia ridicularizava a figura de Pedro II por usar roupas extremamente simples, e o descaso no cuidado e manutenção dos palácios da Quinta da Boa Vista e Petrópolis. Pedro II não admitia tirar dinheiro do governo para tais futilidades.

    Alvo de charges quase diárias nos jornais, mantinha a total liberdade de expressão e nenhuma censura.

    18. Thomas Edison, Pasteur e Graham Bell fizeram teses em homenagem a Pedro II.

    19. Pedro II acreditava em teoria de Allan Kardec e Dr. Freud, confiando o tratamento de seu neto Pedro Augusto. Os resultados foram excelentes deixando Pedro Augusto sem nenhum surto por anos.

    20. D. Pedro II andava pelas ruas de Paris em seu exilio sempre com um saco de veludo ao bolso com um pouco de areia da praia de Copacabana.

    Foi enterrado com ele.

    FONTE : As Barbas do Imperador – D. Pedro II, um monarca nos trópicos, Lilia Moritz Schwarcz

    Brasil: uma biografia, Heloisa Maria Murgel Starling

    Imperador Cidadão, Roderick J. Barman

    D. Pedro II, José Murilo de Carvalho

    COLEÇÃO D. THEREZA CHRISTINA MARIA, BIBLIOTECA NACIONAL


    Autor(a) CARIOCA (324416) 03 Set. 21, 13:36
    Comentário


    Hier gibt es eine längere Abhandlung (ca. 30 S.) auf Deutsch über seine Lebens- und Regierungszeit :


    https://publications.iai.spk-berlin.de/servle...

     Kaiser Pedro II.

    Persˆnliche Daten

    02.12.1825 Geburt in Rio de Janeiro.

    07.04.1831 Abdankung Dom Pedros I. und Ernennung seines

    Sohnes zum Kaiser von Brasilien.

    23.07.1840 Erkl‰rung der Vollj‰hrigkeit Pedros.

    18.07.1841 Krˆnung als Dom Pedro II. zum Kaiser von Brasilien.

    30.05./04.09.1843 Heirat mit Teresa Maria Cristina di Borbone delle

    Due Sicilie.

    1845/1846 Reise in die s ̧dlichen Provinzen Rio Grande do Sul,

    Santa Catarina und S„o Paulo.

    1847 und 1848 Reisen durch die Provinz Rio de Janeiro.

    1859/1860 Reise durch den brasilianischen Nordosten.

    1865 Reise an die Front im Paraguay-Krieg (1864-1870).

    1876/1877 Zweite Reise nach ‹bersee (USA, Kanada, Deutsch-

    land, ÷sterreich-Ungarn, D‰nemark, Schweden,

    Finnland, Russland, Osmanisches Reich, Heiliges

    Land, Griechenland, ƒgypten, Italien, England,

    Frankreich).

    1887/1888 Dritte Reise nach ‹bersee (Portugal, Deutschland,

    Frankreich, Italien).

    15.11.1889 Republikanischer Milit‰rputsch und Absetzung.

    17.11.1889 Dom Pedro begibt sich mit seiner Familie und einem

    kleinem Gefolge ̧ber Portugal nach Paris ins Exil.

    05.12.1891 Tod in Paris durch Lungenentz ̧ndung.


     ... 1. Einleitung

    Mit Vorstellungen, die viele politische Persˆnlichkeiten Lateinamerikas gerade nach der Unabh‰ngigkeit immer wieder begleitet haben, ist Kaiser Pedro II. von Brasilien kaum in Verbindung zu bringen. Dom Pedro II. war weder Revolution‰r ñ hierzu fehlten ihm Gelegenheit und nicht zuletzt Temperament ñ, vielmehr stand er f ̧r das Ende einer Umw‰lzung, die 1807 mit der ‹bersiedlung des portugiesischen Hofes von Lissabon nach Rio de Janeiro begonnen hatte und mit der Etablierung der einzigen dauerhaften Monarchie des 19. Jahrhunderts in den beiden Amerikas zum Abschluss gekommen war. Auch tat er sich, anders als viele politische F ̧hrer Hispanoamerikas im Anschluss an die Unabh‰ngigkeit, milit‰risch nicht hervor, ein Umstand, welcher vor allem den politischen Verh‰ltnissen in Brasilien, aber auch dem zivilen Habitus des Kaisers zuzuschreiben ist. Vor allem jedoch zeichnet sich seine Herrschaft durch eine gerade f ̧r das 19. Jahrhundert untypische Dauerhaftigkeit aus. Kein lateinamerikanisches Staatsoberhaupt des 19. und 20. Jahrhunderts stand so lange an der Spitze eines Landes, wie es Dom Pedro II. w‰hrend der fast 50 Jahre auf dem brasilianischen Thron tat. Nicht zuletzt aufgrund der mit seiner Herrschaft verbundenen Stabilit‰t und Kontinuit‰t stand Pedro II. bereits zu Lebzeiten in hohem Ansehen. Dieses Ansehen ̧berdauerte seinen Tod im Jahre 1891 und macht ihn in der Erinnerung vieler Brasilianer bis heute zu einer der meistgesch‰tzten historischen Persˆnlichkeiten des Landes. ...


    #1Autor(a) no me bré (700807) 03 Set. 21, 19:28
     
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  
 
 
 
 
  automatisch zu   umgewandelt